SUSTENTABILIDADE

Mascaras Recicláveis

Mergulhadores criam máscara reutilizável com plástico dos oceanos


A criação das máscaras já ajudou a remover mais de meia tonelada de resíduos oceânicos. A poluição plástica marinha está ganhando um fim nobre nas mãos da Associação Profissional de Instrutores de Mergulho (PADI) dos EUA. Em parceria com a startup irlandesa Rashr, os mergulhadores estão usando plástico reciclado para criar máscaras reutilizáveis. As unidades estão fazendo sucesso.
 
Cada máscara custa 20 dólares e é vendida com cinco filtros de substituição. Divertidas, elas chamam atenção pelas estampas de animais marinhos. Já são 15 mil máscaras encomendadas.
 
Para Lisa Nicklin, vice-presidente de marketing da PADI, a demanda inesperada é resultado de um produto que as pessoas já precisavam combinado ao apelo ambiental. “Eu acho que (os consumidores) simplesmente acharam que seria uma grande coisa a fazer pelo oceano”, disse em entrevista à CNN. Ela também garantiu que as máscaras são vendidas pelo custo de produção.
 
Lisa ainda afirmou que a partir do número de pedidos é possível afirmar que as máscaras ajudaram na reutilização de mais de 500 quilos de resíduos oceânicos.
 
Máscaras poluentes
 
A crise do lixo plástico marinho, já preocupante, pode ser agravada pelo aumento do uso de máscaras cirúrgicas descartáveis. Recentemente, circulou nas redes sociais a foto de um homem segurando várias máscaras encontradas na praia. Era Gary Stokes, fundador do grupo ambientalista Oceans Asia, que havia encontrado dezenas de máscaras em um trecho de praia de 100 metros em Hong Kong, mais do que nunca é preciso considerar o impacto ambiental como facilitador do surgimento de novas doenças.
 
Máscaras caseiras
 
O uso de máscaras caseiras, feitas de tecido, passou a ser recomendada pelo Ministério da Saúde no início de abril. A ideia é que a população em geral faça suas próprias máscaras, deixando as máscaras cirúrgicas e respiradores, como o N95, aos profissionais de saúde. Mais do que se proteger, as máscaras ajudam a evitar a proliferação do vírus entre os casos assintomáticos.
 
O vice-diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Jarbas Barbosa, reforçou que, em conjunto, é preciso adotar as recomendações já comprovadamente eficientes. “A população precisa manter todas as outras medidas, como lavar as mãos, cobrir a tosse e o espirro, evitar contato próximo com outras pessoas. Se você estiver usando [máscaras caseiras], não se esqueça de todas as outras medidas, porque para elas temos 100% de certeza de que protegerão contra a transmissão da COVID-19”.
 
No Brasil, prefeituras e governos estaduais adotaram o uso de máscaras como política pública. Inclusive em alguns locais o uso já é obrigatório para sair às ruas, é o caso do Piauí e Rondônia. Também Distrito Federal, Mato Grosso, Santa Catarina, Pernambuco, Bahia, Goiás, Espírito Santo, Pará e Minas Gerais estão entre os estados que instituíram decretos neste sentido. Na maioria dos casos, a obrigação é voltada apenas a quem trabalha com atendimento ao público.